Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
Alagoas perde quase 500 leitos do SUS em cinco anos


Nova análise do Conselho Federal de Medicina aponta queda de leitos do SUS em 19 estados desde 2010. Pediatria, psiquiatria e obstetrícia seguem como áreas mais comprometidas.

Quase 24 mil leitos de internação, aqueles destinados a pacientes que precisam permanecer num hospital por mais de 24h horas – foram desativados na rede pública de saúde desde dezembro de 2010. Naquele mês, o país dispunha de 335,5 mil deles para uso exclusivo do Sistema Único de Saúde (SUS). Em dezembro de 2015, o número baixou para 312 mil – uma queda de 13 leitos por dia. As informações foram apuradas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) junto ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), do Ministério da Saúde.

Neste mesmo período o Nordeste perdeu 6948 leitos, somente em Alagoas foram desativados 466 deles, Maceió teve uma baixa de 186 leitos, deixando a população ainda mais desassistida. O presidente do Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal), Dr. Fernando Pedrosa, avalia com preocupação, “a situação de Alagoas é preocupante, quando um Estado com uma população dependente do SUS assiste o definhamento dos seus leitos hospitalares ficando cada vez mais abandonada. É muito importante fortalecer a assistência básica, entretanto, as pessoas continuam a precisar de internações”.

Para o presidente do CFM, Carlos Vital, o levantamento mostra, em números, a falta de leitos vivida diariamente por médicos e pacientes nos hospitais brasileiros, o que acaba provocando atrasos no diagnóstico e no início do tratamento, aumentando a taxa de mortalidade. “A insuficiência de leitos para internação ou realização de cirurgias é um dos fatores para o aumento do tempo de permanência nas emergências. São doentes que acabam ‘internados’ nas emergências à espera do devido encaminhamento para um leito adequado, correndo riscos de contrair infecções”, constata.

Dentre as especialidades mais afetadas no período, em nível nacional, constam psiquiatria, pediatria cirúrgica, obstetrícia e cirurgia geral. Já os leitos destinados à ortopedia e traumatologia foram os únicos que sofreram acréscimo superior a mil leitos.
Enquanto os 150 milhões de brasileiros que dependem exclusivamente do SUS perderam quase 24 mil leitos desde 2010, o quantitativo na rede suplementar e nas unidades privadas aumentou em 2,2 mil o número de leitos no mesmo período. Ao todo, 17 estados elevaram o montante na rede “não SUS” até dezembro de 2015. Apenas Rio de Janeiro e Ceará sofreram decréscimos significativos, da ordem de 1.751 e 1.042 leitos a menos, respectivamente.

leitos por estado

leitos sus regio

 

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

© CREMAL - Conselho Regional de Medicina de Alagoas
Rua Sargento Aldo Almeida, 90, Pinheiro . CEP 57055-510 . Maceió-AL.
E-mail:  faleconosco@crmal.org.br      Fone (82) 3036-3800
 
 
 
 
- Localize no mapa -
 
.