Marta Ferreira Um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), uma espécie de acordo com intermediação do MPT (Ministério Público do Trabalho), deverá ser a forma usada para tentar corrigir problemas no setor de radiologia da Santa Casa de Campo Grande, o maior hospital de Mato Grosso do Sul. Relatório de perícia feita a pedido do MPT, após denúncias dos funcionários que operam as máquinas de raio-x, apontou uma série de problemas no setor. O assunto foi discutido hoje em reunião entre representantes do hospital, da Santa Casa e o procurador do Trabalho Jonas Ratier. Após a divulgação do relatório, no dia 26 de março, os funcionários da radiologia da Santa Casa chegaram a interromper o atendimento nos equipamentos em que foram apontados problemas e os exames ficaram restritos a duas das nove salas de de raio-x do hospital. Um acordo, intermediado pelo MPT, possibilitou a retomada do funcionamento das salas. Na reunião de hoje, a Santa Casa e os funcionários concordaram com as recomendações do laudo apontando a necessidade de uma série de medidas para sanar os problemas, que representam risco para pacientes e operadores das máquinas. Foi dado prazo de cinco dias para o Sindicato dos Radiologistas manifestar suas considerações a respeito das medidas que devem ser adotadas. Uma nova audiência sobre o assunto foi marcada para o dia 5 de maio. (fonte: jornal Campo Grande News – 09.04.2008)

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.