As principais Sociedades de Radiologia da América Latina firmaram protocolo de segurança para proteção ao paciente nos níveis de radiação aplicada em exames. A Aliança Latin Safe, que tem participação da Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (SPR) conta ainda com membros das sociedades de radiologia da Argentina, Colômbia e Chile. A aliança será oficializada no dia 30 de abril, durante a 46ª Jornada Paulista de Radiologia, realizada na cidade de São Paulo.

Fazem parte da Aliança Latin Safe: Sociedade Argentina de Radiologia, Federação das Associações Argentinas de Radiologia e Terapia Radiante, Sociedade Latino Americana de Radiologia Pediátrica, Associação Colombiana de Radiologia, Sociedade Chilena de Radiologia, Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem – CBR, Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem – SPR.

 “O Latin Safe é um órgão independente com participação de membros das sociedades de radiologia com expertise em termos de segurança em radiação no paciente, apoiado por entidades dos países da América Latina com autonomia de decisão e de trabalho. A principal ação é a orientação para proteção radiológica do paciente, para queeles entendam o que é a radiaçãoe saibam sobre os riscos reais que ela pode oferecer à saúde”, afirma Antônio Soares, presidente da SPR, que explica que essa orientação também se estende ao profissional de radiologia, que pode ser o médico, o técnico em radiologia e todos os envolvidos já que esse protocolo também trarátópicos de redução de doses.

Soares explica que essa medida tem fator determinante principalmente em crianças, pois a massa corporal delas é muito menor do que de um adulto, quando se comparada com volume x peso, altura. Casoo profissional utilize uma técnica inapropriada, sabendo que a criança é o paciente de maior risco do que o adulto, o efeito dessa radiação é cumulativo, principalmente em casos de pacientes pediátricos que possuem neoplasias e fazem acompanhamento com exames frequentemente. Porque quando uma criança entre um e dois anos faz tomografia computadorizada algumas vezes na vida, terá um índice de radiação no corpo que a acompanhará ao longo da vida e que poderá proporcionar efeitos negativos no organismo, diferentemente de um adulto acima de 50, 60 anos, que terá uma acumulação menor, caso inicie uma trajetória de exames nessa faixa etária.

“Com esse protocolo criado, é possível otimizar a dose de radiação utilizada nos exames radiológicos. Hoje, no Brasil, devido a grandiosidade do país, temos uma heterogeneidade de equipamentos e tecnologias, onde alguns centros contam com máquinas e softwares de última geração e que possibilitam grande redução de dose de radiação sem muito esforço; enquanto outros serviços sem as mesmas condições tecnológicas, necessitam de um esforço muito maior para atingirem níveis de radiação similares nos exames diagnósticos. O propósito é justamente a criação e disponibilização de protocolos de realização de exames que visem a otimização da dose de radiação nos exames diagnósticos. Pensando sempre em primeiro lugar na segurança do paciente e também auxiliando radiologistas, biomédicos e tecnólogos na realização dos exames. Uma adequada conscientização dos médicos solicitantes também torna-se necessária, afim de que tenham em mente os níveis de radiação dos exames, e possam escolher o exame com melhor custo benefício para os seus pacientes, explica o radiologista, Dr. César Higa Nomura, membro da diretoria da SPR.

O tema da JPR do ano passado foi Diagnóstico por Imagem na Dose Certa, membros da América Latina, principalmente profissionais do Chile, Argentina, Brasil, Colômbia e Estados Unidos, começaram a trabalhar na formação e constituição do Latin Safe para a proteção de radiação em pacientes. Esse formato já existe nos Estados Unidos, que foi o primeiro país a idealizar essa ação com o Image Gently, idealizado pela Sociedade Americana de Radiologia Pediátrica. Soares informa que após os Estados Unidos, surgiram o Euro Safe, o African Safe e o Asian e Oceania Safe.

Saiba mais sobre a SPR – A Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem foi fundada em 3 de março de 1968, na cidade de Jaú, interior de São Paulo. Atualmente, a entidade congrega mais de 5.000 associados, cobrindo todas as áreas deDiagnóstico por Imagem.Integrada ao Departamento de Diagnóstico por Imagem da Associação Paulista de Medicina (APM) e filiada ao Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR), a SPR, representada pelos seus presidentes, tem se dedicado ao longo desses anos especialmente à defesa aos radiologistas, ao desenvolvimento científico e dinamização da especialidade, dentro dos mais altos princípios do profissionalismo.

46ª Jornada Paulista de Radiologia
Organização: Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (SPR) e Radiological Society of North America (RSNA)
Data: 28 de abril a 1º de maio
Local:Transamérica Expo Center – Av. Dr. Mário Vilas Bôas Rodrigues, 387, Santo Amaro, São Paulo.
Site: www.jpr2016.org.br


Programação:  www.jpr2016.org.br/programa-cientifico/

Inscrições apenas no local: www.jpr2016.org.br/inscricao-informacoes-gerais/.

 

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.