Realização do teste do pezinho e o diagnóstico precoce das doenças podem impedir graves danos ao cérebro do bebê

O teste do pezinho, realizado em recém-nascidos, será tema de audiência pública hoje, às 9h, na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). Os senadores ouvirão especialistas sobre avanços recentes e possibilidades de se aprimorar a aplicação do teste.

Entre as doenças que podem ser detectadas, estão a fenilcetonúria e o hipotireoidismo congênito, que podem causar danos ao cérebro do bebê. A realização do teste e o diagnóstico precoce das doenças, geralmente assintomáticas no início, podem impedir esses danos.

O requerimento para o debate foi apresentado pelos senadores Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Paulo Paim (PT-RS).

Foram convidados o secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Miranda Magalhães Júnior; a presidente da Sociedade Brasileira de Triagem Neonatal, Paula Regla Vargas; o vice-diretor do Núcleo de Ações e Pesquisa de Apoio Diagnóstico da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais, Marcos José Burle de Aguiar; o presidente da Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional, José Alcides Marton da Silva; a professora da Universidade Federal de São Paulo Ana Maria Martins; e o presidente da Associação Brasiliense de Amparo ao Fibrocístico, Fernando Gomide.

Fonte: Portal da Saúde

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.