Para melhorar o atendimento à população e reforçar a integração do atendimento de saúde nos municípios brasileiros que fazem fronteira com outros países, o Conselho Federal de Medicina (CFM) realizou na última terça-feira (21) o I Fórum de Médicos de Fronteiras, em Brasília-DF. Durante o evento, que teve como foco as formas de trabalho e a migração médica nas fronteiras, membros de diversas entidades médicas e autoridades das Forças Armadas (Exército, Força Aérea e Marinha) expuseram os principais desafios para a assistência nessas áreas.

Forças Armadas apresentaram situação da saúde nos limites do Brasil

Forças Armadas apresentaram situação da saúde nos limites do Brasil

A partir dos relatos, a Comissão de Integração do Médico de Fronteira do CFM pretende formular um documento que será encaminhado a autoridades. Para a conselheira federal pelo estado do Acre e coordenadora da Comissão, Dilza Teresinha Ribeiro, o evento foi fundamental para nortear ações que há algum tempo estão sendo discutidas no CFM.

“Um dos grandes desafios dessas regiões é a fixação de médicos e outros profissionais de saúde, devido à falta de infraestrutura e de condições de trabalho. Por isso, defendemos uma carreira de Estado para os médicos que atuarem na rede pública nos locais de difícil acesso e provimento, com o objetivo de estimular a migração e a fixação”, defendeu Dilza Ribeiro.

Programação – Pela manhã, emissários das Forças Armadas apresentaram sua visão sobre a situação atual e perspectivas para os serviços nas fronteiras. A mesa de discussão foi coordenada pelo vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul, Fernando Weber, e secretariada pela conselheira federal pelo estado do Amapá, Maria das Graças Salgado. As exposições ficaram por conta do General de Brigada Márcio Andrade de Oliveira, do Brigadeiro Eduardo Serra Negra e do Capitão de Mar e Guerra Oscar de Oliveira Passos.

No período da tarde os debates se voltaram para a migração de médicos, com a exposição do conselheiro federal pelo Rio Grande do Norte, Jeancarlo Cavalcante; do vice-presidente da Confederação Médica Latinoamericana e do Caribe (Confemel), Anibal Cruz; do presidente da Federação Médica Venezuelana, Douglas Natera; e da senadora da Bolívia, Jeanine Chávez. Ao final do encontro, o assessor jurídico do CFM, Alejandro Bullon, também apresentou aspectos legais sobre a validação de diplomas.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.