Milena Crestani A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública(Sejusp) vai investigar denúncia de sabotagem no Hospital Regional (HR) de Campo Grande. Um grupo de funcionários do hospital estava depredando chuveiros, rasgando lençóis e recusando-se a atender alguns casos de cirurgias. O governador André Puccinelli (PMDB) afirmou ontem que as pessoas que realizaram este tipo de ato devem ser punidas e merecem até para a cadeia.”Não podemos admitir este tipo de atitude dentro de um hospital. O governo luta para realizar investimentos no setor da saúde”, afirma. O Secretário estadual de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, afirmou que a polícia civil vai investigar os indícios dos crimes ocorridos no HR e instaurar um inquérito para apurar quem doram os culpados.”Recebi a informação do governador e já determinei a investigação”. O presidente da Fundação de Saúde, José Roberto Silva, que administra o hospital, afirma que depredação do patrimônio público do HR partiu de um pequeno grupo de funcionários que estava insatisfeito com as mudanças realizadas na administração. “Estamos promovendo mudanças para melhorar o atendimento e isso resulta em um esforço maior por parte dos funcionários.Alguns profissionais não ficaram satisfeitos com as exigências e reagiram de maneira errada. O caso já foi encaminhado á polícia”,diz Almires. Estragos Ele informou que o hospital já abriu sindicância para apurar quem foram os responsáveis pelos estragos ocasionados em roupas usadas para cirurgias, lençóis, e até mesmo em chuveiros que foram adquiridos recentemente. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados. A situação se agravou no hospital há cerca de um mês. O grupo de funcionários chegou a estragar as mangueiras de incêndio que foram instaladas na instituição. O presidente da fundação garante que não houve prejuízo no atendimento á população. (fonte:Jornal O Estado 05.06.2008)

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.