O 10º Encontro dos Conselhos Regionais de Medicina do Norte e Centro-Oeste, realizado nos dias 27 e 28 de maio em Bonito, resultou na elaboração da “Carta de Bonito”, documento que reconhece os erros da categoria e aponta soluções e medidas a serem implantadas. O evento reuniu dirigentes e representantes dos Conselhos de todo o país. Durante o evento foram debatidos diversos temas como a proposta de atualização do Código de Ética Médica (CEM), a implantação da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) e inter-relação entre os CRMs e os movimentos classistas por melhores condições de trabalho e remuneração. Um dos momentos mais polêmicos do encontro foi durante a mesa-redonda sobre o CEM. Alguns médicos defenderam que o código precisa ser revisto e passar por um processo de “enxugamento”, podendo ser editado em apenas 10 capítulos. Hoje o código é composto por 14 capítulos e 145 artigos. Outros argumentaram que o código está defasado com relação aos avanços tecnológicos e, portanto precisa aumentar seu conteúdo. “A conclusão é que em breve o Código terá de ser revisto, e que demandará uma ampla discussão”, comentou o presidente do CRM do Distrito Federal, Eduardo Pinheiro Guerra. Outro tema polêmico discutido entre os participantes do encontro foi a implantação da CBHPM. O palestrante da mesa, Julio Rufino Torres, presidente do CRM do Amazonas, comentou que as operadoras vêm obtendo grandes lucros com os planos de saúde. O presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Edson Andrade completou afirmando que se o sistema Unimed, cooperativa dos próprios médicos, desrespeitar a nova classificação vão estar demonstrando não ser o braço econômico da categoria, mas sim uma operadora de saúde convencional. “Nós temos que nos unir, temos que recuperar nossa força política”, destacou o secretário da mesa, Oldemiro Hardoim Júnior, conselheiro do CRM de Mato Grosso do Sul. Os CRMs e os movimentos classistas por melhores condições de trabalho e remuneração foi o tema da última mesa-redonda do encontro. O vice-presidente do CRM de Mato Grosso do Sul e comentarista da mesa, Lúcio Mário da Cruz Bulhões, lembrou os Conselhos de se engajarem e terem uma participação mais efetiva em mobilizações políticas em prol de melhorias para a categoria, deixando de serem apenas entidades cartoriais. No encerramento do encontro, no início da tarde desta sexta-feira (28), os dirigentes dos CRMs elaboraram um documento oficial com todos os tópicos tratados em Bonito. A “Carta de Bonito” foi aprovada e lida em plenário e aponta os erros e dificuldades da categoria bem como medidas e soluções que precisam ser implantadas. No total participam do evento mais de 110 pessoas, representando 21 estados: Alagoas, Amazonas, Ceará, Rondônia, Maranhão, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Amapá, Santa Catarina, São Paulo, Tocantins e Acre, além do Distrito Federal.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.