O uso associado de mais de um medicamento para emagrecer, como sibutramina e xenical ou sibutramina e anfetaminas, foi defendido por especialistas no 29º Congresso de Endocrinologia e Metabologia esta semana, em Gramado. Sibutramina não aumenta risco de doença cardiovascular, dizem especialistas “A associação de remédios é comum no tratamento de qualquer doença, não deve ser diferente com a obesidade”, disse o endocrinologista Alfredo Halpern, do Hospital das Clínicas de São Paulo, durante palestra. A mistura mais comum é a de orlistate (xenical) com sibutramina, dois medicamentos com princípios ativos diferentes –o primeiro diminui a absorção de gordura e o segundo aumenta a sensação de saciedade. Halpern testa em 41 pacientes a associação de sibutramina com topiramato, uma droga anti-convulsiva que causa a perda temporária de memória em 10% dos casos. “Todos remédios têm efeitos colaterais. Se isso incomodar o paciente, retiramos o medicamento.” Não existem estudos científicos conclusivos sobre as consequências de combinar essas diferentes drogas. “Os pareceres iniciais dizem que seriam necessários mais alguns anos de testes. Meus pacientes não têm esse tempo”, argumenta Halpern. Para Ricardo Meirelles, presidente da Sbem (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia), é preciso cautela ao falar sobre associação de medicamentos para emagrecer. “A Anvisa proíbe a combinação de psicotrópicos com sibutramina ou qualquer outro anorexígeno. Apesar de muitos médicos utilizarem, ainda estamos longe de recomendar o uso. Fonte: Folha. Com – 07/09/2010

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.