O médico e vereador Celso Ianaze (PMDB) mostrou hoje sua preocupação com a questão da saúde em Campo Grande caso seja aprovado o Projeto de Lei Complementar (PLC) 003/07 do deputado estadual Júnior Mochi (PMDB), que altera os critérios da distribuição do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) aos 78 municípios de Mato Grosso do Sul, e tira cerca de R$ 300 mil por mês de Campo Grande. “Campo Grande atende grande parte da demanda do interior na área da saúde. O Hospital Regional, a Santa Casa e o Hospital Universitário recebem gente de todos os municípios e este atendimento ficará comprometido caso tenhamos este prejuízo mensal”, esclareceu o vreador. Segundo Ianaze é preciso que cada município se organize para não viver exclusivamente de repasses de ICMS e FPM: “Há municípios que nem cobram IPTU. Não é justo tirar de Campo Grande, que cumpre sua função fiscal e dar a outros municípios”, opinou. Fonte: Câmara Online

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.