Dezenas de manifestantes lotaram a chapelaria do Congresso na manhã desta quarta-feira (24) para pressionar pela rápida votação da emenda 29, que regulamenta o dinheiro a ser investido na saúde. A chapelaria é a principal entrada de parlamentares na Câmara e Senado.

Os manifestantes contam com o apoio de grande parte da bancada do PMDB, principal aliado do planalto. O problema é que a presidente Dilma Rousseff teme que o Senado modifique o texto, provocando despesas que o governo diz não comportar.

A emenda 29 é um dos pontos que dividiu os peemedebistas. Enquanto um grupo de cerca de 35 deputados quer a rápida votação, o líder Henrique Eduardo Alves (RN) seguia orientação do governo. Agora ele já se diz favorável. O grupo de dissidentes ameaça paralisar a Câmara caso a emenda não seja votada.

O presidente da Casa, deputado Marco Maia (PT-RS), deve apresentar uma proposta de pauta de votações no plenário para todo o semestre.

Fonte: Folha.com

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.