Walter Augusto Martinho foi um dos primeiros pediatras a atender em Mato Grosso do Sul

 

 

“Conversa ‘olho no olho’, ouvindo atentamente o paciente e realmente interessado em como amenizar ou curar suas dores”. Assim o doutor Walter Augusto Martinho, um dos pioneiros em pediatria em Mato Grosso do Sul, define uma boa e eficiente consulta médica.

 O interesse pela pediatria existiu “desde sempre”, mas o amor pela profissão e o respeito pelo paciente foram consolidados pelos mestres. “Nunca me esqueço de um professor cirurgião que, já todo paramentado, colocava o bisturi entre as mãos e fazia uma oração antes de cada cirurgia; são coisas que marcam a vida da gente”.

 Já se vão mais de 50 anos que o carioca deixou a terra natal, onde se formou, para tentar a vida em Campo Grande, cidade natal da esposa, Marlene. “Na época, fim da década de 50, mais ou menos, não tinha nem cinco pediatras por aqui”, lembrou. Convidado por um amigo, foi para a cidade de Maracaju, onde se encantou com a infraestrutura do hospital local, que dispunha de Centro Cirúrgico e berçário, além de outros setores considerados avançados para a época.

 Doutor Walter também se encantou com o modo de vida tranquilo e descomplicado do interior. “Eu me encontrei, fiz muitos amigos e pude exercer a medicina da família, algo em que acredito muito até hoje”, explicou o médico, que visitava os pacientes, cuidava da criança ao idoso e ainda tomou gosto pelo mate e tereré.

A empatia foi tanta que o prefeito da cidade não hesitou e decretou feriado municipal o dia em que doutor Walter deixou a cidade rumo a Três Lagoas. “Eu fiquei comovido com o carinho das pessoas e todos vieram se despedir de mim”, lembrou.

 Os aprendizados, profissionais e para a vida, doutor Walter levou para a nova cidade, onde mora até hoje. Inicialmente, o médico atendeu na rede pública estadual de saúde e aos funcionários da antiga rede ferroviária. Também conseguiu uma proeza para a época. “Com muito esforço e diálogo, conseguimos instituir os plantões e escalas de trabalho na rede pública e, aos poucos, pude contribuir para melhorarmos os procedimentos”, disse doutor Walter, que também foi diretor clínico da Santa Casa.

 Incansável, somente há cinco anos, quando estava com 75 anos, diminuiu a jornada pesada de trabalho, a pedido dos filhos e da esposa, priorizando o atendimento na rede pública de saúde, na urgência e emergência. Hoje, ainda trabalha de oito a 12 horas por dia, de segunda a sexta-feira. Aos 78 anos, a disposição de doutor Walter é de fazer inveja a muitos residentes. “Eu realmente amo o que faço e nunca me vi fazendo outra coisa”, resumiu.

 De fala serena e tranquila, doutor Walter chega a ser disputado entre os pacientes em Três Lagoas. Pais com crianças e até idosos vão de outras cidades para o município para serem atendidos pelo “doutor Valti”, como é conhecido pelos pacientes. “Eu fico gratificado quando uma mãe sai daqui com o filho bem ou mesmo quando ajudo um idoso que só queria conversar, ter atenção por parte do médico”.

Mas, um pediatra cuidar de idoso? Doutor Walter perdeu as contas de quantas vezes respondeu a essa pergunta. “Sim, e por que não? Na época em que me formei o médico fazia de tudo e eu acho isso muito bom”. E dá para ficar rico? O pediatra é taxativo: “Muito difícil um médico ficar rico, mas, principalmente no meu tempo, vivíamos bem”.

 Após todos esses anos, doutor Walter ainda mantém viva a chama do que define como “espírito humanitário”. “Hoje, muitos médicos pensam diferente e têm uma relação comercial com a medicina, o que eu não julgo, porque a profissão foi muito desvalorizada, mas discordo totalmente”, disse.

 E ser pediatra? Para doutor Walter, é preciso muita vocação, disposição para ouvir e certa psicologia para atender os pais. “A criança é um ser complexo e temos que ter cuidado redobrado. É onde tudo começa”.

 Doutor Walter também foi conselheiro do CRM-MS e, em 2010, recebeu o Diploma de Honra ao Mérito Médico concedido pela Academia de Medicina de Mato Grosso do Sul pelos relevantes serviços prestados no Estado.

 Fonte: CRM-MS

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.