Cirurgiões reclamam do valor pago no SUS e ameaçam parar SÃO PAULO Para conseguirem aumentos em seus honorários, cirurgiões cardíacos que atendem no SUS (rede pública) têm cancelado operações em várias regiões do país. No Espírito Santo e no Rio Grande do Norte, por exemplo, os cirurgiões obtiveram reajuste após paralisações. No Rio, os médicos ameaçam abandonar o SUS em outubro caso não haja aumento. Eles estão insatisfeitos com a tabela de honorários paga pela rede pública. Uma equipe de até seis médicos recebe cerca de R$ 1.000 por uma ponte de safena. O valor é dividido entre eles. Um cirurgião consegue realizar em média duas operações por dia. “Estamos pagando para trabalhar no SUS”, diz o presidente da SBCCV (Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular), Gilberto Barbosa. Em Estados onde houve negociação, os cirurgiões conseguiram que o valor chegasse a R$ 6.500. O valor básico passou a ser complementado com dinheiro estadual e municipal. A SBCCV tem orientado seus associados a negociar as complementações com prefeitos e governadores. Em São Paulo, os cirurgiões estão organizando uma cooperativa para que tenham maior poder de barganha nas reuniões com o Estado e as prefeituras. O Ministério da Saúde afirma que nos últimos oito anos reajustou três vezes a tabela de procedimentos cardíacos. Fonte: Folha de São Paulo – 20.08.2010

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.