O Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul (SinMed/MS) realizaou uma assembléia, ontem (20/11), às 19 horas, para definir a estratégia de mobilização dos médicos que atendem pelo SUS (Sistema Único de Saúde) no Estado. Todos os médicos foram convidados a participar da reunião para acertar a estratégia que será adotada dentro da mobilização nacional da categoria, realizada hoje (21/11). Denominado de “Dia Nacional de Protesto”, com o lema “A medicina do Brasil exige respeito”, a mobilização acontecerá em defesa do Sistema Único de Saúde. A iniciativa é da Associação Médica Brasileira (AMB), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), que idealizaram o Dia Nacional de Protesto em defesa de melhores condições de trabalho, melhor remuneração e uma saúde pública eficiente. Os médicos de todo o Brasil entrarão em estado de alerta e lideranças médicas anunciarão na sede da AMB, em São Paulo, um calendário de atividades que culminará em uma paralisação nacional. A pauta da mobilização inclui reajuste de repasses do SUS, piso salarial e melhorias necessárias para garantir uma saúde de qualidade para o povo brasileiro. As reivindicações são: tornar o serviço público eficiente na área da saúde; melhor atendimento à população; reajuste de 100% do montante destinado aos honorários médicos do SUS; piso de R$ 6.963,52 por 20 horas de trabalho; carreira de Estado e implantação de plano de cargos e salários para os médicos no SUS. Nos Estados, a mobilização consta de uma série de atividades organizadas pelas entidades médicas locais. Vão desde paralisações até debates sobre a precariedade do sistema de saúde e a remuneração dos médicos.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.