Os diabéticos assistidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) poderão, a partir de 2008, receber a Insulina Regular nas unidades básicas do Programa Saúde da Família e nos centros de saúde. Isso porque o Ministério vai centralizar a compra e distribuição desse medicamento, hoje adquirido por estados e municípios com recursos federais e disponível apenas em centros e hospitais de referência, que exigem a marcação de consulta para entregar a medicação. Com a iniciativa do ministério, os pacientes terão o acesso facilitado à Insulina Regular, uma vez que as unidades básicas de saúde, além de não exigir nova consulta médica a cada entrega do remédio, atendem a maior parte dos usuários do SUS. A Insulina Regular tem uma ação mais rápida e prolongada que a insulina do tipo NPH, que continuará a ser comprada e distribuída pelo Ministério da Saúde. Outra novidade é que, com a regulamentação da Lei do Diabetes, feita por portaria do ministro José Gomes Temporão no mês passado, os pacientes que já recebem regulamente insulina e outros medicamentos passarão a contar também com um kit para automonitoramento que inclui seringas, tiras reagentes, glicosímetros e lancetas. Hoje, 14 de novembro, é o Dia Mundial do Diabetes. O Ministério da Saúde estima em 6 milhões o número de portadores da doença no país. Desse total, metade sabe que tem a enfermidade e é tratada pelo SUS: os medicamentos de uso oral (Glibenclamida, Metformina e Glicasida) são comprados por estados e municípios com recursos do Ministério da Saúde e distribuídos a 2,6 milhões de pessoas. A insulina NPH, por sua vez, é comprada diretamente pelo ministério e enviada a cerca de 380 mil portadores da doença. No caso dos medicamentos de uso oral, o Ministério da Saúde gasta o equivalente a R$ 1,15 per capita por ano. Com relação à insulina NPH, são distribuídos mensalmente 900 mil frascos ao custo unitário de R$ 9,18. Para a aquisição da Insulina Regular, o Ministério da Saúde já abriu licitação que deve ser concluída ainda este ano. A principal vantagem do medicamento para o paciente é que, como a ação é mais rápida e prolongada, o número de aplicações injetáveis é reduzido. Kits- A portaria ministerial nº 2583 de 10 de outubro de 2007 assinada pelo ministro José Gomes Temporão regulamentou a Lei do Diabetes, que garante aos pacientes o recebimento dos medicamentos e dos kits de auto-monitoramento. No próximo mês, representantes da União, dos estados e municípios vão pactuar, de forma tripartite, quanto será investido no controle da doença e quais porcentagens desse valor serão pagas por cada esfera de governo. O Ministério da Saúde investe significativamente no tratamento do diabetes e da hipertensão, mas também destaca a importância da prevenção e da promoção da saúde. É fundamental a adoção de hábitos saudáveis, como atividade física e uma alimentação balanceada.Todos os postos de saúde da rede pública estão disponíveis para a realização de exames de diagnóstico. Fonte: Ministério da Saúde

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.