Anahi Zurutusa O Ministério Público Estadual (MPE) instaurou inquérito civil para apurar a “capacidade de leitos, existência de equipamentos adequados e escala de plantão médico na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatal da Santa Casa de Campo Grande”. A investigação ficará a cargo de Sara Francisco Silva, promotora titular da 32º Promotoria de Justiça da Cidadania. O Edital nº 10/2009 que formaliza o procedimento deve ser publicado no Diário Oficial de Justiça de hoje, mas ontem já era possível ter acesso por meio do site do MPE. No dia 3 de setembro, a promotora visitou a UTI Neonatal da Santa Casa para averiguar denúncia feita por médicos pediatras do hospital de que a unidade estaria “sucateada” e “insalubre” – a visita foi acompanhada pela reportagem do jornal O Estado. Na ocasião, profissionais que trabalham no setor haviam procurado o MPE, Sindicato de Medicina de Mato Grosso do Sul (SinMed/MS) e Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso do Sul (CRM/MS) no início desta semana para falar sobre a falta de manutenção da UTI. Os médicos chegaram a ameaçar paralisar o trabalho, caso a administração da Santa Casa não tomasse providências imediatas. A “greve” estava marcada para se iniciar no dia 8 deste mês. No entanto, após conversa com o diretor da instituição, Pedro Chaves dos Santos Filho, o médico José Mendes, chefe do serviço de pediatria do hospital, desistiu de organizar a manifestação. Na época, Chaves confirmou ter convocado Mendes para uma reunião e pediu “paciência” aos médicos. No dia seguinte à visita do MPE, a Santa Casa (4 de setembro), o diretor do hospital informou que ainda não existem projetos para resolver o problema da UTI Neonatal “imediatamente”. (fonte: jornal O Estado de MS – 21.09.09)

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.