O líder do prefeito de Campo Grande na Câmara, vereador Alex do PT, teve papel decisivo no fracasso da criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), proposta para investigar desvios de verba no Hospital do Câncer, na chamada “CPI da Saúde”.

A vereadora Luiza Ribeiro (PPS) tinha nove assinaturas e precisava só da assinatura de Alex do PT para aprovar, mas o vereador se negou e ajudou a enterrar a CPI. Luiza contou que chegou a ter 12 assinaturas favoráveis (ela precisava de 10), mas alguns retiraram a assinatura, sobrando só nove vereadores.

A sessão da Câmara foi marcada por diversos momentos de tensão, entre vaias da plateia e suspensão da sessão. Alex foi protagonista de um destes momentos quando mostrou irritação com os vereadores Luiza Ribeiro, Cazuza (PP) e Chocolate (PP). “Vocês serão responsáveis”, ameaçava o vereador, em meio à luta de aliados de Bernal para conseguir votos para a CPI.

Na plateia da sessão, insatisfeitos com os vereadores que desaprovaram a CPI lembraram que ela dificilmente sairia, visto que os integrantes da atual oposição eram da base de sustentação de Nelsinho Trad (PMDB) e, por isso, estavam comprometidos com a situação da saúde em Campo Grande. Para espanto da plateia, o próprio líder do prefeito, vereador de oposição na legislatura de Nelsinho, ficou contra a CPI, desrespeitando a vontade popular, evidenciada pelo protesto na Câmara.

O engenheiro civil Elias Atala ironizou o fato da CPI ficar a mercê de votos dos vereadores que eram situação e hoje são oposição. Ele lembrou que vereadores da nova legislatura são parentes de Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Leandro Mazina, primo e cunhado de Nelsinho Trad e ex-secretários de Saúde de Campo Grande. O manifestante ressaltou que o vereador Paulo Siufi (PMDB) é primo de Mandetta e o vereador Otávio Trad (PTdoB) é filho de Leandro Mazina.

Alex não foi reeleito para o posto de vereador, ficando na suplência do PT. Ele chegou à Câmara graças a uma manobra do prefeito, que nomeou Thais Helena (PT) para a Secretaria de Assistência Social e o trouxe de volta para a Câmara, com a missão de ser líder dele. Além de Alex, o vereador João Rocha (PSDB), da base de Bernal na Câmara, também votou contra a CPI.

A CPI teve adesão dos vereadores: Zeca do PT, Ayrton do PT, Rose Modesto (PSDB), Cazuza (PP), Chocolate (PP), Eduardo Romero (PTdoB), Gilmar da Cruz (PRB) e Paulo Pedra (PDT). Votaram contra a CPI os vereadores: Paulo Siufi (PMDB), Carla Stephanini (PMDB), Wanderlei Cabeludo (PMDB), Mário César (PMDB), Edil Albuquerque, João Rocha (PSDB), Elizeu Dionízio (PSL), Alceu Bueno (PSL), Chiquinho Telles (PSD), Coringa (PSD), Delei Pinheiro (PSD), Carlão (PSB), Edson Shimabukuro (PTB), Flávio César (PTdoB), Otávio Trad (PTdoB), Grazielle Machado (PR), Jamal (PR), Herculano Borges (PSC), Alex do PT e Airton Saraiva (DEM).

 

Fonte: Campo Grande News

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.