Valdelice Bonifácio O médico Rubens Trombini que participa da junta interventora da Santa Casa de Campo Grande afirma que o hospital não tem como se livrar dos contratos terceirizados que na avaliação do Ministério Público Estadual dão prejuízos ao hospital e beneficiam as empresas prestadoras de serviços. “O hospital tem contratos que duram até 10 anos com os terceirizados. A Santa Casa teria que desembolsar R$ 2 milhões para se livrar dos terceirizados. Não se tem este dinheiro. O que resta a fazer é equacionar a dívida até que os contratos sejam equalizados”, disse o médico nesta manhã ao programa de rádio Tribuna Livre da FM Capital. Ele afirma que os contratos terceirizados tomam frente de uma série de serviços. Mas, a Santa Casa garante funcionamento sem a necessidade de contratação de empresas de fora em setores importantes como Raio-X e Banco de Sangue outra processo. Trombini cita que tem prestado contas quase que diariamente ao Ministério Público e semanalmente à prefeitura de Campo Grande. O hospital tem proporções de um município. Por dia, passam por ele cerca de 5 mil pessoas. São cerca de 2.236 pacientes e pelo menos 2,050 funcionários. (fonte: jornal online Midiamax News – 13.01.09)

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.